PARLAMENTO (Arouca)

No reino da carne arouquesa. E da simpatia!

Uma das coisas de que mais gostamos quando saímos de Lisboa e conhecer novos restaurantes. E se há zonas para onde vamos já bem preparados, porque pesquisamos, temos referências, falamos com malta que conhecemos… há depois outros locais por onde passamos nos quais nem sequer nos preocupamos com isso. O que nos leva a Arouca, num fim-de-semana prolongado, com um grupo grande de malta… e sem nenhuma referência de restaurantes. Por isso, método “old school”, ou seja, perguntar aos locais, que nos dão uma resposta curiosa: “vão até à rua pedonal (Travessa da Ribeira) e escolham!”

Quando lá chegamos, percebemos então que temos de escolher mesmo. E a decisão era sobre se escolhíamos o Parlamento ou, mesmo em frente, do outro lado da rua, a Assembleia. Sim, isso mesmo, leram bem. Frente a frente, separados por uma curta rua pedonal, a Assembleia e o Parlamento. Não há relação entre ambos. E a nossa escolha recaiu no Parlamento porque a carta nos pareceu mais interessante, com pratos mais robustos e não tão baseada em petiscos. Além disso, o tempo de espera era menor aqui, por isso juntou-se o útil ao agradável.

Outra das coisas que nos seduziu desde o primeiro minuto no Parlamento foi o serviço. Sabemos que, geralmente, a simpatia nos restaurantes aumenta quanto mais longe estamos das grandes cidades, é verdade, mas aqui foi mesmo muito bom. Desde o momento em que nos pedem para esperar um pouco para arranjar uma mesa para o nosso grupo, até às indecisões nos pedidos. Atenciosos, divertidos, sempre prontos a fazer uma piada com o “grupo de Lisboa”.

Um grupo que chegou com fome, por isso pediu o couvert e o que mais houvesse de entradas, nomeadamente um chouriço e linguiça locais. Nada de especial, mas servem para acompanhar o vinho verde tinto que vamos pedindo para a mesa, e que é servido da forma tradicional, em pequenas malgas. Mas a verdade é que já todos tínhamos olhado para a lista e percebido que íamos comer bem e bastante a seguir.

Nos pratos principais, deixámo-nos ir pelas sugestões. Estamos no reino das carnes, claro, por isso foi perguntar o que sugeriam para um grupo como o nosso. Uma dessas sugestões foi a Vitela Assada no Forno, um clássico da zona, acompanhada com batata assada e couves, tudo cheio de sabor, tudo delicioso. A vitela em si é tenra, a carne muito macia, como seria de esperar numa zona do País onde a carne geralmente é fantástica.

parlamento restaurante arouca Morcela doce

Por isso mesmo, tínhamos de experimentar o mesmo bicho mas de outra forma. Conforme sugerido por quem nos atendeu e acompanhou todo o jantar, pedimos a Posta Arouquesa e as Costeletas de Vitela Arouquesa, e ambos os cortes são novamente fenomenais! É verdade que a carne em si é maravilhosa e tenra, mas depois é muito bem temperada e muito bem trabalhada na grelha, o que faz toda a diferença. Um festim de carne de primeira, foi o que foi!

parlamento restaurante arouca Morcela doce

E depois desta barrigada de carne, precisávamos de fechar com coisas doces. Até porque já nos tinham avisado que tínhamos de guardar apetite para a Morcela Doce, um doce conventual típico da zona, e que nos despertou a curiosidade, claro! E, como podem ver em baixo, é isso mesmo: uma forma de morcela que na realidade é um doce de pão, amêndoa, manteiga, canela e açúcar. Uma bomba, diga-se, mas completamente diferente de qualquer outra coisa que já tenhamos provado!

parlamento restaurante arouca Morcela doce
parlamento restaurante arouca

E como o grupo era grande, veio ainda para a mesa uma espécie de “pijaminha” dos vários doces da casa, todos eles conventuais, com muito ovo, amêndoa e açúcar. Foi mais gula que outra coisa, é verdade, mas porque não?

parlamento restaurante arouca

No final do jantar, ficamos ainda mais um pouco à conversa, sempre muito divertidos. O serviço é efectivamente um factor diferenciador no Parlamento, e que acaba por marcar a experiência. É certo que a comida é fantástica, especialmente as carnes, mas isso será semelhante noutros restaurantes da zona, digo eu. Agora quando nos fazem sentir em casa, quando nos tratam bem, percebemos a razão porque temos a ideia de que fora de Lisboa os restaurantes têm um ambiente diferente. É tudo mais calmo, mais simpático, mais genuíno.

Podíamos não ter nenhuma referência de restaurantes em Arouca, mas depois de termos ido ao Parlamento, ficámos fãs.

Preço Médio: 20€ pessoa (com vinho da casa)
Informações & Contactos:

Travessa da Ribeira, 2 | 4540-148 Arouca | 256 949 604

1 comentário em “PARLAMENTO (Arouca)”

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.